A Brasital

A Brasital foi uma indústria têxtil construída em 1890 na cidade de São Roque, sendo uma das principais indústrias inauguradas pelo investidor Enrico Dell’Acqua. Inicialmente denominada Enrico Dell’Acqua & Cia., possuía 3.600m² de área construída (no encerramento de suas atividades contava com 9.600m² de área construída), uma represa de 4.000m² de área inundada com uma queda de 30 metros de altura, que impulsionava os teares com uma força aproximada de 120 cavalos.



Nesta fase a fábrica produzia uma grande variedade de tecidos em algodão como brim, riscado, toalhas felpudas, colchas, entre outros.
Em 1899 a empresa passou a ser uma sociedade anônima e foi rebatizada com o nome “Societá de Esportazione Enrico Dell’Acqua”. Em 1903 Enrico Dell’Acqua deixou a diretoria do grupo para se dedicar a outros empreendimentos (construção de fábrica semelhante no município de Salto, interior paulista). Em 1919 a sociedade anônima mudou novamente a sua diretoria e, por conseguinte, a sua alcunha para Brasital S/A – junção de Brasil e Itália.
No início do século XX a Brasital S/A empregava 510 funcionários e na década de 1960 chegou a empregar 3.000 pessoas, equivalente a 80% da mão de obra disponível da cidade de São Roque.



Funcionários entrando para trabalhar

Com o passar dos anos e os avanços de novas tecnologias, a Brasital perdeu seu espaço e suas atividades diminuíram cada vez mais. Na década de 1970 a fábrica não resistiu a concorrência acirrada do rayon e nylon, encerrando por fim suas atividades.



Teares da Brasital

Após 17 anos fechada, o prefeito da época, sr. Mario Luiz Campos de Oliveira – juntamente com o governo do Estado -, conseguiu tornar a Brasital em patrimônio municipal, transformando-a em seguida em “Centro Educacional e Cultural Brasital”, sendo inaugurada em 1º de maio de 1987 como “CEC Brasital”.
A inauguração do CEC Brasital marcou a vida de muitos são-roquenses. Com o slogan “A Brasital é Nossa”, aproximadamente 3.000 pessoas cruzaram os portões da antiga fábrica, em uma comemoração histórica de conquista de patrimônio. Os antigos funcionários da fábrica foram homenageados e o apito da indústria têxtil soou após muitos anos, trazendo à lembrança que aquele som há vários anos impulsionou a pequena cidade de São Roque.



Teatro de Arena Brasital



Galpões utilizados como oficinas culturais



Fonte de Mármore Carrara doada pelo Senhor Sotero de Souza



Trilha das Águas

Atualmente o prédio principal da administração abriga o Departamento de Educação e Divisão de Cultura da Prefeitura. Os diversos galpões que sediavam a parte de fabricação dos tecidos são utilizados como salas de aulas de cursos profissionalizantes ou culturais como ginástica olímpica, tae-kwon-do, yoga, capoeira entre outros. A biblioteca municipal também tem seu espaço na Brasital, contando com mais de 10.000 livros.
A parte externa conta com diversas paisagens tornando-se assim um lugar muito agradável para passear com a família e amigos. Nos fins de semana a antiga fábrica é frequentada pela população são-roquense e também por muitos turistas. Eles aproveitam o espaço fazendo piqueniques, tirando fotos e passeando nas trilhas – entre estas a mais conhecida é o “Caminho das Águas”, que conta com 2.000 metros de caminhada no meio da mata, contemplando a natureza com várias pontes sobre o canal de água para melhor viabilizar o passeio. Além disso, ao adentrar pelo que seria os fundos da Brasital (Avenida Aracaí), vê-se a chaminé por completo que, com 40 metros de altura, tornou-se um dos cartões postais mais bonitos da cidade.
Portanto, com uma história magnífica e belas paisagens, em meio a passeios familiares, pessoas buscando conhecimento, distração ou apenas curtindo a natureza, etc., temos em pleno centro da cidade de São Roque um ambiente contando com diversas atividades histórico-culturais em meio a natureza.

Adaptado de SILVA, M. D. V. e PUGAS, D. G. Análise do perfil do visitante do Centro Educacional e Cultural Brasital. Trabalho de Conclusão de Curso. São Roque/SP: IFSP, 2017.

Sobre o Autor

client-photo-1
São Roque Aventureiro

Comentários

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: